segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Resumo da 31º Rodada, do Brasileirão


No fim de semana das homenagens a Pelé, Santos dá vexame e Obina é o destaque, mas reta final do Brasileirão põe oito em briga de foice pelo título

Nunca houve uma rodada como ela. Com nome e tudo, batizada oficialmente pela CBF por motivo dos mais nobres: homenagear o Rei do Futebol em seu aniversário. Quis o destino, porém, que a rodada Pelé 70 Anos fosse realmente ímpar, engrandecida por golaços e grandes partidas, porém marcada por heróis surpreendentes, raramente associados ao bom gosto estabelecido no futebol. Obina foi um deles.


Tantas vezes contestado, mas quase sempre goleador, o atacante colocou seu nome na história dos duelos entre Cruzeiro e Atlético. Ao marcar três gols no dérbi no Parque do Sabiá no domingo, fez algo que, em 89 anos de história, só sete outros homens tinham conseguido antes. Mais importante do que isso: foi decisivo na vitória por 4 a 3 que tirou da zona de rebaixamento um Galo que ali era cozinhado há 21 rodadas. Os iluminados trinta minutos iniciais do bom baiano também sacudiram todo o andar de cima do Brasileirão e acrescentaram um bocado generoso de pimenta e dendê na luta pelo título. A Raposa perdeu o jogo e também a liderança. Agora, do topo da tabela até o oitavo colocado, o Grêmio, apenas sete pontos abaixo, todos parecem autorizados a sonhar em ser campeão. Embolou bonito. É briga de foice entre oito, cada um com 21 pontos a disputar.

Para ocupar a ponta, bastou ao Fluminense conquistar um pontinho. Mas que pontinho suado... Na Arena da Baixada, onde é sempre complicado escapar sem derrota, o Tricolor enfrentou mais do que o eficiente time de Paulo Baier, Guerrón e Branquinho. Seu centroavante Washington, que não marcava há oito jogos, quebrou o jejum da pior maneira possível. Subiu mais alto que todos na própria área e fez um golaço contra. O Flu conseguiu empatar, mas, aos 38 do segundo tempo, Vágner Diniz colocou o Atlético-PR em vantagem novamente. Três minutos depois, Tartá caiu na área do Furacão. O juiz Wilson Seneme deu pênalti, e Washington, 1,89 metro, chegou junto para bater. Conca, 22 centímetros mais baixo, não aceitou e peitou o colega. Falou firme, tomou a bola de suas mãos e afastou seu braço comprido. Tinha o respaldo do treinador e o nome de um famoso craque nas costas da camisa 10. Cobrou sem chance para Viáfara: 2 a 2. Flu líder com 54 pontos, na frente do Cruzeiro pelo saldo de gols.


Conca e Muricy haviam entrado em campo com o nome de Pelé em suas camisas. Geraldo, o 10 do Ceará, também; seu time venceu o poderoso São Paulo por 2 a 0 no Castelão, e segue firme em 11º lugar, com 42 pontos, rumo à Sul-Americana.

Fábio Santos, um gigante inesperado no Gre-Nal


Mas homenagem ao Rei não foi garantia de sucesso na rodada. Ironicamente, o maior drama dos dez jogos do fim de semana foi estrelado pelo atual camisa 10 do Santos, Neymar, que trocou o número habitual pelo 70. Numa Vila Belmiro doida para festejar, o primeiro gol do Peixe contra o Grêmio Prudente foi comemorado com soco no ar coletivo, coreografado. Mas depois do segundo, o clima de festa desceu para o gramado. E o lanterna do Brasileirão, praticamente desenganado na luta contra o rebaixamento, conseguiu os três gols da virada em apenas 17 minutos de bola rolando no segundo tempo. Até que, aos 35 minutos, veio o pênalti a favor do Santos: Neymar até deslocou o goleiro, mas a bola subiu demais, bateu no travessão e saiu.

O Peixe permaneceu com 48 pontos e chutou para a arquibancada uma chance de ouro de chegar pertinho do trio da frente. Junto do Peixe, mas abaixo na classificação, estão agora o Internacional (saldo pior) e o Botafogo (menos vitórias). No sábado, o Alvinegro quebrou sua incômoda sequência de oito empates com um sofrido 1 a 0 sobre o Vitória (novo integrante da zona de rebaixamento, com 34 pontos) no Engenhão.


No domingo, o Gre-Nal ajudou a compactar o bololô na parte de cima da tabela. D'Alessandro e o goleiro Victor brilharam em um 2 a 2 eletrizante no Olímpico, mas o destaque do jogo foi o "patinho feio" Fábio Santos, jogador que a torcida do Imortal jamais deixa de "incentivar" - no caso, "incentivar" sua ida a lugares inóspitos... No segundo gol, o perseguido lateral-esquerdo deixou a marcação na saudade e fuzilou Renan com um balaço.

No Rio de Janeiro, o 1 a 1 entre Vasco e Flamengo foi ruim para todo mundo: para os cruzmaltinos, que jogaram melhor no primeiro tempo; para os rubro-negros, que passaram mais da metade do segundo em vantagem numérica (Dedé foi expulso), e para os 21 mil pagantes, que se dirigiram até o Engenhão, cenário inédito para o clássico, e testemunharam velhos defeitos em suas equipes. A cena da expulsão de Dedé, após dividida com Willians, chamou mais a atenção do que o futebol mostrado. O vascaíno atingiu violentamente a canela do rubro-negro e, já caído, no afã desastrado de afastar a bola, desferiu lhe um segundo coice. Ninguém em sã consciência poderia reclamar desse cartão vermelho, mas... Felipe, Fernando Prass e boa parte do time do Vasco ficaram indignados e dirigiram-se ao árbitro Gutemberg de Paula de forma agressiva. O técnico PC Gusmão, mais exaltado ainda, também acabou sendo expulso. Depois do jogo, reclamou da postura do juiz em relação a seus jogadores:


- O que ele falou pra gente, também... Eu não tenho sangue de barata - observou o treinador do Vasco.

O Vasco está em 12º lugar, com 42 pontos; o Flamengo, em 13º, com 38 - quatro acima da zona do rebaixamento, atualmente ocupada por Grêmio Prudente (24 pontos), Avai (30), Goiás (31) e Vitória (34).

O clássico paulistano no Pacaembu também gerou alguns momentos de destempero, mas teve bom futebol. Na estreia de Tite, o Corinthians bateu o Palmeiras por 1 a 0 e superou a zica de sete jogos sem vencer. Agora está apenas um pontinho atrás de Fluminense e Cruzeiro. Ronaldo, com a nuca tão "fofinha" quanto a do árbitro Héber Roberto Lopes, participou bem do jogo durante os 90 minutos. No começo, quase deixou o dele, após boa tabela com Jucilei. Aos 22, Roberto Carlos dominou com muita categoria e rolou para Bruno César, que chutou. A bola desviou em Marcos Assunção e enganou o goleiro Deola. No segundo tempo, Felipão colocou em campo Valdívia, supostamente poupado por uma lesão na coxa. Botou no intervalo e tirou 34 minutos depois. Na entrevistá pós-jogo, o treinador deu showzinho de grossura ao falar do assunto:

- Quem disse que ele se machucou? O médico não confirmou bosta nenhuma, não falou merda nenhuma. Não me venham aqui botar palavras na boca do médico... O que ele disse é que ele tem uma fibrose. E a fibrose não o impede de jogar - explodiu Felipão, antes de explicar que sua opção não foi motivada por nenhuma insatisfação com o rendimento do chileno.

Com a derrota, o Palmeiras ficou com 44 pontos, em décimo lugar. Com duas vitórias a mais, o São Paulo é nono. Os três pontinhos perdidos pelos dois times no domingo parecem fazer a diferença na licença para sonhar com o título. Mas não convém descartar times de tradição que estão a dez pontos do líder quando todos ainda têm 21 por disputar.

- Com certeza este é o campeonato mais difícil do mundo. Tem muita gente capaz de lutar pelo título - ensinou Muricy, tricampeão brasileiro como técnico e uma vez como jogador.

Jogador da Rodada: Obina, fez 3 gols no clássico e ajudou o Atlético Mineiro a sair da Zona de Rebaixamento.

Time da Rodada: Atlético Mineiro, depois de 16 rodadas o Galo Mineiro, saiu da Zona de Rebaixamento depois de um clássico eletrizante.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Resumo da 27º Rodada do Brasileirão.

Rodada #27: trio da frente empaca em sábado de empates frustrantes


Flu, Corinthians e Cruzeiro decepcionam; gaúchos avançam e, na zona do rebaixamento, Atlético-MG de Dorival Junior mostra, enfim, poder de reação

 Sábado, sempre dia de muita expectativa - ainda mais quando é véspera de eleição presidencial. Aí não tem erro, é matemático: onde rola muita ansiedade, sempre sobra frustração. Só quatro times venceram - e um deles, o Galo, não está em situação de comemorar, pois segue, aflitíssimo, em antepenúltimo lugar. Para a maioria das torcidas, vale a pergunta: foi ruim para você também? Foi, principalmente para a turma de cima da classificação do Campeonato Brasileiro. Fluminense, Corinthians e Cruzeiro empataram e  ficaram onde já estavam, desperdiçando chances preciosas. Será que em 2010 teremos uma reprise do fenômeno de 2009, o "deixa-que-eu-deixo" no pelotão de cima? Aquela coisa de os principais candidatos saírem entregando, um a um, sucessivamente, as oportunidades de se distanciar dos rivais na luta pelo título...

Novamente regido por Conca, o Fluminense foi visitar o Grêmio Prudente, lanterna, teoricamente um anfitrião que não causaria problemas. O líder saiu na frente e teve boas, ótimas chances de matar o jogo: mas Rodriguinho, que fez um golaço, perdeu duas bolas fáceis cara a cara. O Tricolor passou uma horinha feliz, enxergando-se seis pontos à frente do Corinthians, que amargou 66 minutos em desvantagem contra o Ceará. Aí o lanterninha acendeu, e veio o gol de Willian, aos 27 do segundo tempo. Como não há nada ruim que não possa piorar, o goleiro Rafael ainda precisou se esticar para garantir ao empate, aos 46. Se esse foi o joguinho traiçoeiro que Muricy antevira, o que dizer do desafio de quarta, no Engenhão, contra o Santos?


Apesar da tarde seca no sábado da terra da garoa, o cabo de guarda-chuva também foi servido para 28 mil torcedores que se aventuraram pelo Pacaembu. No primeiro tempo, o centroavante Marcelo Nicácio fez um gol e quase se consagrou em outro lance; no segundo tempo,o velho Magno Alves deixou o dele. Para os corintianos, o mais bizarro não foi o visitante Ceará ter saído frustrado com o 2 a 2 do placar final. Incrível foi fazer festa para um gol sem querer assinalado por Defederico. O próprio argentino confessou que queria cruzar no lance salvador, aos 37 minutos do segundo tempo.

Depois desses dois jogos, realizados às 16h, o Cruzeiro entrou em campo, pimpão, achando-se presenteado pelo destino. Mas não arrumou nada diante de um aplicado Atlético-PR, que botou bola na trave de Fábio e por pouco não apronta. No fim, foi um zero a zero que deixou a Raposa exatamente onde estava, em terceiro lugar, a quatro pontos do líder Flu e a um ponto do Corinthians (que tem um jogo a menos que seus dois rivais)


No Engenhão, Botafogo e Flamengo também racharam uma pizza sabor consolação. O alvinegro, mesmo sem jogar nada do primeiro tempo, ia "achando" uma vitória graças ao gol de Lucio Flavio, em magistral cobrança de falta à la Zico. Já os rubro-negros encontraram o empate em uma bola que parecia perdida, dominada por Alessandro perto da linha de fundo. Mas Angelim insistiu, o botafoguense se enrolou e o juiz marcou pênalti.


Petkovic cobrou e Jefferson defendeu, mas Léo Moura marcou no rebote. Tudo igual, ruim para os dois. O Botafogo permanece em sexto, a seis pontos do G-3. O Fla está em 15º lugar, quatro acima do sarrafo da zona do rebaixamento, e deve começar a semana com novo técnico.


No clássico entre Santos e Palmeiras, na Vila, ninguém riu por último tampouco. A camisa 100 de Neymar, marcando marqueteiramente o que já foi seu 101º jogo pelo Santos, ficou meio fora dos holofotes. Valdivia, que fez bonito na assistência ao gol de Kleber, acabou chamando mais a atenção em campo - e na saída dele também, pelo beicinho de pirralho ao ser sacado por Felipão, aos 41 do segundo tempo. O empate do Peixe veio em uma jogada genial de Alan Patrick cuja conclusão só entrou por causa do desvio infeliz de Danilo.

Em Porto Alegre, só alegria. No Beira-Rio, um Colorado com reservas fez 3 a 0 no Guarani e ficou menos longe do topo: agora voltou a ter oito pontos a menos que o Flu. Já o incrível Grêmio, cada vez mais líder do returno, trouxe um belo 3 a 0 do Barradão. Agora vai tranquilinho receber o lanterna Prudente.

Se o empate entre Avaí e São Paulo pode ser definido como um tremendo zero a zero, com prejuiízo para os dois sócios, o jogo no Serra Dourada entre Atlético-GO e Atlético-MG foi o carrossel de emoções da rodada. Quando o jogo estava 2 a 1 para os rubro-negros, e o peso trágico do mundo já estava vergando os ombros de Dorival Júnior e da torcida do Galo, o zagueiro Réver acertou uma bicicleta daquelas que dois ou três que vão acertar na vida inteira. Empatou o jogo. E aos 47, em bola chorada que o zagueiro salvou em cima da linha, voltou, bateu no goleiro e entrou, veio o 3 a 2, creditado a Ricardo Bueno.

Com o resultado, o clube mineiro ficou a um ponto de seu xará goiano, que visita o Flamengo na quinta-feira. E o Galo recebe na quarta o Corinthians, para testar se o despertar do pesadelo foi mesmo pra valer.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

01 de Outubro de 2010: Um dia pra ser esquecido para a Torcida Rubro - Negra!

Desde que me entendo por gente, jamais me defini ser o eduardo, filho da senhora Fátima e do senhor Lenio mas sim como um flamenguista que leva o Flamengo a frente de TUDO E DE TODOS. Em toda a minha vida, cada segundo foi vivido em prol não somente de um eu mas também e principalmente em prol do Flamengo.

A cada alegria, cada suspiro, cada sorriso, cada choro, enfim, cada sentimento que um ser humano é capaz de ter, foi surreal, imensurável, inexplicável e indescritível. Todos esses sentimentos, foram trazidos e apresentados ao meu peito e minha alma, pelo Flamengo. Essa paixão de ser Flamengo, é uma paixão que contagia, que sei lá, poderia citar vários adjetivos e não acharia algum capaz de poder representar este amor citado neste texto.


Por ÚNICAMENTE um interesse, certos elementos que se julgam Flamengo, que se julgam torcedores, e que se julgam amar o Flamengo; insultam, menosprezam e dão demonstrações graves de ingratidão e desrespeito a quem nós deveríamos reverenciar a cada instante que pudessemos estarmos em sua presença, pois este que me refiro, fez o Flamengo ser o que hoje.

Lutou com sua técnica, seu sangue, sua raça e seu suor por exclusivamente amor. O que é o amor pra você que esta lendo este texto? Pense um pouco, você sabe o que é amar?

Como dito no título, eu tenho vergonha de ser rubro-negro, jamais pensei que poderia dizer isso em toda a minha vida mas eu to desmoronado, perdido e sem chão com isso que fizeram com o Zico. Isso é covardia, isso é gravíssimo. Acusaram, jogaram pedra, martilizaram não por cobranças devidamente certas mas somente para defender seus interesses financeiros.

Podem se titularizarem como rubro-negros mas JAMAIS terão o sangue rubro-negro correndo em vossas veias e JAMAIS saberão o que é amar!

Um dia terão vergonha de tudo isso que estão fazendo e perceberão que é tarde para tentar arrumar esta cagada.Zico, eu te peço perdão por tudo o que fizeram contra você.

Eu vivi, senti, chorrei e sorri cada segundo destes seus 4 meses de Flamengo. Pouco tempo não? Mas em pouco tempo pude saber, entender e sentior, o que é amar. Você tem isso de sobra pelo Flamengo, Jamais conseguirão apagar você da história do Flamengo, Jamais. Você é único, você é e sempre será o nosso eterno camisa 10 da Gávea.

Não venho aqui pedir que volte para o cargo, venho sim pedir pra que nunca volte para o Flamengo. Não por ser um péssimo profissional(muito pelo contrário), não volte para não sofrer mais do que você vem sofrendo ao ver estas pessoas(se é que podem ser definidas como) acabando com o que você lutou com muito esforço para construir. É triste!

Quem semea o mal na terra, pagará pelos seus atos não no céu mas sim, aqui na terra. E podem ter certeza, que a hora de vocês está chegando!

Podem vestir o manto mas JAMAIS saberão o que é amar.

Zico, eu te peço perdão por eles!
 
 

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Resumo da 26º rodada do Brasileirão.

Rodada #26: Com Flu mais líder, briga parece restrita a três candidatos


Tricolor bate Avaí à Muricy e fica a três pontos do Corinthians, que empata com Botafogo; Raposa vence bem o Atlético-GO e cola na dupla da ponta

Com categoria, "Conga Conga Conga"... Os trocadilhos que a mídia costuma fazer com o sobrenome de Darío Conca são infames, cretinos, péssimos. Mas o futebol é excelente e o baixinho argentino não deve ligar. Estamos falando de um homem estoico: basta lembrar que aturou em silêncio a bizarra condição de reserva de Abedi (nos tempos em que era chamado de "pequena decepção", no Vasco, em 2007).  Foi ele, mais uma vez, quem brilhou no líder Fluminense na noite de quarta-feira. Com novo gol fora de seu estilo habitual, sozinho na pequena área, aparou a bola sobrada e, feito um centroavante dos bons, selou a vitória por 1 a 0 sobre o Avaí. Aos 37 minutos do segundo tempo, salvou o Tricolor quando o tropeço com pinta e rabo de zebra já se desenhava em Volta Redonda
 
- Não jogamos bem, mas é uma vitória de campeão, de time que quer brigar pelo título – comemorou o treinador Muricy, falando de duas coisas que entende - vencer sem brilho e comemorar títulos.


Com 51 pontos (três mais que o Corinthians, que tem um jogo a menos) e a sensação de dever cumprido no "Estádio da Cidadania" (apelido do Raulino de Oliveira), o Flu vai a Presidente Prudente no sábado, um dia antes das eleições.

Para enfrentar o lanterna, mas ciente de que nada se resolve de véspera. Será?
O Corinthians, que receberá o Ceará no mesmo sábado, também não jogou bem nesta rodada. Mas deve considerar o empate em 1 a 1 com o Botafogo bom negócio. E na palavra negócio não vai nenhuma insinuação pelo gol legítimo que o auxiliar Erich Bandeira e o juiz Leandro Vuaden resolveram tirar do ex-corintiano Herrera.


A torcida do time carioca, sexto colocado, com 41 pontos, ficou mais tiririca (não vai aí propaganda eleitoral...) com as duas chances cara a cara desperdiçadas nos acréscimos: na segunda delas, Loco Abreu cobrou falta rapidamente para Caio, livre, avançar, driblar o goleiro Julio Cesar, enrolar-se, dar um passeio pela meia-lua da área corintiana e tentar um gol por cobertura - enquanto o uruguaio esperava, sozinho na área, um passe que não veio.

- Nos livramos de perder - resumiu, William, capitão corintiano.

Já o Cruzeiro não deu chances ao Atlético-GO, que sonhava em sair da zona do rebaixamento: 3 a 0 sem fazer força, com direito a mais uma comemoração "pocotó, pocotó, pocotó" do maestro Montillo. (Na verdade, a brincadeira do argentino faz referência a um videogame que gostava de jogar com os ex-colegas de Universidad de Chile.) Devagarinho, o time mineiro vai encostando na dupla da ponta: está com 47 pontos, unzinho a menos que o Corinthians.
 
Na Arena da Baixada, o Atlético-PR de Carpegiani bateu o Vitória com uma jogada manjada, porém eficiente: cruzamento de Paulo Baier em cobrança de falta e cabeçada do zagueiro - no caso, Rhodolfo. E o sonho da Libertadores ficou menos impossível: o Furacão é o quinto colocado, com 41 pontos (tem mais vitórias que o Botafogo), a seis do G-3.


No Olímpico, Rogério Ceni teve o raro desgosto de sofrer dois gols de André Lima e saiu ouvindo coro de "frangueiro", mesmo depois de ter convertido um pênalti. A mão mole no lance do quarto gol dos donos de casa selou o destino do goleiro do São Paulo e ajudou o Grêmio a pular para o nono lugar, com 36 pontos e a melhor campanha do segundo turno.


Na Arena Barueri, à base de chutes de longe e com algum efeito, Marcos Assunção proporcionou ao goleiro Renan uma tremenda noite infeliz. Resultado: Palmeiras 2 a 0 no Inter, que estacionou e ficou mais longe do trio da ponta. O time de Felipão, por sua vez, comemorou a terceira vitória seguida e já está em oitavo lugar, com 38.

Neymar foi ao Rio de Janeiro na terça-feira e, como de hábito, foi notícia. Mas pelo que fez depois do jogo - compareceu a uma festa ao som do funk priápico de Mr. Catra, em ambiente com forte presença de moças que se intitulam "cachorras"... No gramado de São Januário, quem brilhou mesmo foi Eder Luis, que fez o Vasco reencontrar a vitória após seis partidas e marcou um golaço, selando o 3 a 1 cruzmaltino.


O Flamengo deveria ter respirado mais tranquilo após o 1 a 1 trazido do Serra Dourada - arrancado do Goiás, concorrente direto na luta contra a degola, graças a um golzinho de Deivid aos 45 minutos do segundo tempo. A língua de Silas, porém, botou quase tudo a perder. De cabeça quente, soltou após o jogo a frase "eu não faço gol contra", referindo-se a seu comandado Jean, que marcara para o Goiás em lance involuntário. No day after, ressaca geral, com direito a (nova) canelada do próprio zagueiro:

- Em momento algum o treinador pode expor um jogador dessa forma. Não é uma situação bacana. Agora, se ele vai continuar - o que acho que deve acontecer -, o meu trabalho, ele vai ter com a mesma dignidade - disse Jean.

O lanterna Grêmio Prudente mostrou que não quer morrer de véspera. Com técnico interino, bateu o Guarani por 4 a 2. Mesmo com seu goleiro Giovanni tendo sofrido um gol de pênalti que pode ser qualificado como frango - façanha bizarra que faz a fama de Max, quando atuava pelo Botafogo contra o Náutico, em 2007. Confira ao lado.


A sorte também continuou sendo madrasta para o Galo. No Castelão, o time que Dorival Júnior herdou de Luxemburgo colheu um 0 a 0 com o cambaleante Ceará (14º colocado) e segue como Gata Borralheira da zona de rebaixamento, com 22 pontos. Só dois pontos acima do Grêmio Prudente... Mas o próximo jogo, no sábado, contra o Atlético-GO, primeiro da zona de degola, com 26, pode levar a carruagem mineira de volta a galinheiros mais nobres.


Time da Rodada: Palmeiras. Depois de 3 vitórias seguidas o Palmeiras chegou perto do G-3.

Jogador da Rodada: Marcos Assunção, depois de 2 gols de falta ele merece o meu destaque, ele bate muito bem faltas.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Resumo da 25º rodada do Brasileirão.


O gol de Andrezinho aos 47 minutos do segundo tempo não foi determinante para a troca de posições na liderança do campeonato. O Flu, com saldo de gols melhor que o do Corinthians (porém um jogo a mais), terminaria esta 25ª rodada na frente mesmo se o Timão tivesse segurado o 2 a 2 com o Inter em Porto Alegre. Mas o chute da "melhor chapa do Brasil" - segundo o comentarista Caio Ribeiro - desviado na barreira deu a vitória ao Colorado e deflagrou taquicardia coletiva em diversos pontos do país.


Graças ao lance de sorte e competência, o Inter de D'Alesandro e Alecsandro deixou os comandados de Adílson Batista com 47 pontos, um a menos que o Fluminense. Foi uma vitória daquelas de lavar e perfumar a alma, com direito a gol e drama do predestinado Tinga (que saiu lesionado após marcar), muita pressão alvinegra no segundo tempo e um segundo gol de empate sofrido aos 45 minutos (Bruno Cesar, cobrando pênalti). Cantos e provocações no Beira-Rio deixaram a certeza de que as conquistas internacionais dos últimos anos não cicatrizaram a ferida aberta pela perda do Brasileirão 2005 (quando o rival paulistano foi campeão): "PQP! Libertadores o Corinthians nunca viu". E o Colorado segue na briga por um título que não vence há 31 anos: está em quarto lugar, com 41 pontos - sete a menos que o Tricolor, mas com um jogo a menos.

Belo horizonte para o novo líder


A alegria às margens do Guaíba ecoou no Rio de Janeiro e na Bahia, onde o novo líder, o Fluminense, cumpriu suas obrigações ao vencer o Vitória por 2 a 1. O argentino Conca fez bem até o que não costuma fazer: marcou o primeiro gol do jogo em cobrança segura de pênalti. Muricy saiu do Barradão com horizontes teoricamente mais tranquilos pela frente: os próximos dois confrontos são contra o Avaí (que goleou o Ceará por 4 a 0, mas ainda está perto da degola), em Volta Redonda, na quarta-feira, e contra o lanterna Prudente, em Presidente Prudente-SP, no sábado. O Corinthians tem missão mais complicada na quarta, quando recebe o Botafogo no Pacaembu. Depois, também em casa, pega o Ceará, que ganhou apenas dois pontos nos últimos quatro jogos e vem de um atropelamento na Ressacada: tomou de 5 a 0 do Avaí, maior goleada da rodada.

O Alvinegro carioca, quinto colocado, 40 pontos, deixou o Engenhão amargando seu 1 a 1 com detalhes típicos do folclore do clube: o adversário, o Atlético-PR, que está em sétimo lugar, com 38 pontos, fez o gol de empate aos 45, com Guerrón, em contra-ataque fulminante após um passe errado de Elizeu, que tinha acabado de entrar. E Caio ainda meteu um chutaço no travessão, aos 47 do segundo tempo. De qualquer modo, os dois times ainda sonham em participar da Libertadores em 2011.

'Monstro' emerge novamente - agora sem polêmica

O Cruzeiro, dono provisório da "última" vaga na competição, segue não muito distante, com 44 pontos, em terceiro lugar. Mesmo depois de tomar uma piaba do Peixe: 4 a 1 em Barueri, com direito ao "monstro Neymar" emergindo - dessa vez positivamente. Aos 45 minutos, com o placar favorável, em vez de passar o pé sobre a bola ou provocar adversários, ele partiu para cima do marcador e marcou um belo gol. Saiu sem dar entrevistas e usou a conta no twitter para explicar a forma como festejou em campo:

- Comemoração de hoje: twitcam maluca. Obrigado, Senhor - escreveu o jogador, valendo-se de um vocabulário religioso que vinha usando pouco nas últimas semanas.

Com 38 pontos (a 10 do líder, mas com um jogo a menos), o Santos ainda pode sonhar com um novo título em 2010. Mais do que a goleada sobre um rival forte, a superação das turbulências provocadas pelo jovem craque autoriza o time a voos mais altos.

Do outro lado das expectativas, Dorival Júnior, novo técnico do Atlético-MG, teve uma estreia tensa. Se fosse um filme, seria daqueles em que o mocinho morre na sequência inicial. Na derrota em casa por 2 a 1 para o Grêmio, Jonas fez o primeiro gol tricolor antes dos 2 minutos, e Gabriel marcou o segundo aos 15. Doze mil torcedores testemunharam a tentativa de reação do Galo, mas o time mostrou que fugir do rebaixamento não vai ser nada simples. O Tricolor de Renato Gaúcho é um excelente exemplo para Dorival: tem a melhor campanha do segundo turno (supera o Cruzeiro no saldo de gols) e saiu de perto do rebaixamento para o décimo lugar, com 33 pontos.


Com 21 pontos, o Galo é o penúltimo colocado, à frente apenas do Prudente, 17 pontinhos. Goiás, com 24, e Atlético-GO, 26 pontos, completam a zona da degola. E a rodada trouxe como fato importante a presença de um vizinho inesperado nessa região: o Flamengo. No sábado, o campeão brasileiro do ano passado foi derrotado pelo Palmeiras no Engenhão por 3 a 1. E agora ocupa uma indesejável fronteira, dois pontos acima do também rubro-negro Atlético-GO. Os dois se enfrentam daqui a três rodadas, no Rio de Janeiro - mas antes o time de Silas vai ao Serra Dourada jogar contra o Goiás, e encara o Botafogo naquele que tem sido o principal clássico carioca dos últimos anos.


Do topo ao fundo da tabela, não deve faltar emoção neste terço final de Campeonato Brasileiro. Faltam apenas 13 rodadas, mais dois jogos adiados: Corinthians x Vasco e Santos x Inter. .


Time da Rodada: o Fluminense, conseguiu se recuperar e assumiu a ponta do campeonato novamente, jogando um bom futebol contra a equipe do Vitória lá no Barradão.

Jogador da Rodada: Conca, como joga bola esse Argentino... Já está ficando repetitivo eu ficar falando dos Argentinos no meu  blog, só eles que se destacam é? rs

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Resumo da 24º Rodada do Brasileirão




Rodada # 24: Libertadores 'encolhe' e Timão e Flu seguem puxando o ritmo


Vaga 'cassada' pela Conmebol acirra a briga nas posições mais altas da tabela; líder e vice-líder brilham, enquanto zona da degola segue estávelApertem o passo, a vaga sumiu! Por determinação da Conmebol, o G-4 virou G-3, e a Libertadores ficará menos verde-amarela no ano que vem. A canetada de quarta-feira em Assunção, no Paraguai, acabou tendo consequências mais importantes do que tudo que foi feito em campo nos dez jogos da 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. E olha que houve dois duelos definindo posições lá no alto da tabela.


O Corinthians foi à Vila Belmiro na quarta-feira e manteve a ponta ao bater por 3 a 2 o Santos de Neymar, o déspota teen local. O projeto de monstro até fez um gol, mas não foi nenhum bicho papão. A vitória foi selada com uma jogada ensaiada - ou melhor, simulada em um programa de computador mais associado ao mundo corporativo. Com um detalhe: o Powerpoint do técnico Adílson Batista certamente não previa a colaboração do árbitro Carlos Eugênio Simon, que ignorou o impedimento de Danilo, autor do cruzamento que Paulo André transformou em gol.

No Engenhão, na noite de quinta, o Fluminense seguiu na vice-liderança, a dois pontos do Timão (que tem um jogo a menos), graças à sova aplicada no Atlético-MG. Apenas 6 mil torcedores assistiram ao jogo, mas a mensagem está bem espalhada agora: o Tricolor segue na briga, inclusive com saldo de gols melhor que o do rival de cima.


Os 5 a 1 fizeram uma vítima ilustre, Vanderlei Luxemburgo, vestido à altura da ocasião importante (não é todo dia que alguém consegue abraçar uma multa rescisória com valores astronômicos - especula-se que são 7 milhões de dólares). De terno Armani e gravata cor de rosa, o treinador assistiu a mais uma jornada pra lá de apática de seus comandados, com destaque negativo para o outrora aguerrido Diego Souza.

O meia entrou no intervalo, no lugar de Obina (que estava bem no jogo), e foi expulso por atropelar Carlinhos em um carrinho por trás. Nesse momento, Luxa, já desanimado, apenas deu um sorriso irônico e botou a mão na cintura. A besteira do jogador não mereceu sequer um palavrãozinho...


Na entrevista após o primeiro tempo, Daniel Carvalho já tinha resumido com uma gafe o momento inglório do Galo:

- Tomamos um gol em falha individual. De todo mundo... Falha individual de todo mundo - repetiu o atacante gaúcho, na transmissão do SporTV.


O Atlético-MG é o mais ilustre locatário da zona de rebaixamento. Está em 18º lugar, com 21 pontos, dois menos que o Atlético-GO, 17º, e quatro abaixo do Avaí, que foi visitar o Vitória, perdeu por 3 a 0, e ficou perigosamente próximo da turma da degola. A 14 rodadas do fim do campeonato, ainda é cedo para fatalismos, mas os quatro últimos colocados (Goiás, 21 pontos, é o penúltimo, e Grêmio Prudente, com 17, lanterna) vêm mostrando pouco poder de reação.

O Cruzeiro segurou sua terceira colocação com uma vitória por 2 a 0 sobre o Ceará em Sete Lagoas (MG). Depois de mandar ofício à CBF reclamando da arbitragem do empate em 2 a 2 com o Botafogo, o time mineiro viveu o outro lado da situação: foi beneficiado por um erro de Cláudio Francisco Lima e Silva, que anulou gol legítimo de Marcelo Nicácio que deixaria o jogo empatado aos 42 minutos do segundo tempo.


No Engenhão, o Botafogo, quarto colocado com 39 pontos, teve que se contentar com sofrido 2 a 2 diante do rei dos empates, o Vasco. Com 10 em campo - Herrera foi expulso -, o Alvinegro chegou ao empate com um pênalti convertido por Loco Abreu aos 47 do segundo tempo. Batido sem cavadinha ou deboche, mas comemorado com um gesto alusivo aos testículos - sinônimo de macheza para povos de cultura ibérica - e alguns palavrões. Aos 20 minutos do segundo tempo, o uruguaio, cinco gols nas últimas cinco partidas, protagonizou um lance estranho: querendo "carimbar" algum adversário na intermediária adversária, deu um bico contra o próprio campo, que resultou em escanteio para o Vasco.

- Que foi? Nunca 'xogou' futebol??? - irritou-se Abreu, com sotaque, ao responder ao repórter da TV Globo após a partida.


Em Curitiba, o Atlético-PR jogou sério e derrubou ninguém menos que o campeão da América, o Inter. Um a zero, marcado em cobrança de falta pelo bom e velho Paulo Baier. Ficou em sexto lugar, um ponto atrás do próprio Colorado, o quinto, e segue de olho na Libertadores também.

Mais do que nunca, na terço final do Brasileirão, é preciso jogar e jogar muito. Seja futebol, 'muricybol', ou qualquer coisa que, planejada em computador ou truque manjado, resulte em gols. O sarrafo da Libertadores subiu e, independentemente das vilanias vindas de Assunção, há indícios de que a briga pelo titulo e pelo G-3 serão acirradas até o fim. Não tem cavalo paraguaio neste Brasileirão.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Resumo da 23º rodada do Brasileirão.


Para o Fluminense, está sendo um Setembro Negro. Para o Corinthians, um mês de ouro que começou com a inesquecível comemoração do centenário. A rodada #23 confirmou uma tendência que vinha sendo desenhada desde o dia 1º. Com a vitória por 3 a 0 sobre o Prudente, o Timão está na ponta com 44 pontos contra 42 do Flu, que estava na dianteira desde 31 de julho e empatou no inédito Fla-Flu do Engenhão.


Setembro é o único mês de todo o Brasileirão com jogos em todas as datas disponíveis: serão nove rodadas no total. E computados apenas os jogos das primeiras seis rodadas do mês#9, o Fluminense estaria na zona de rebaixamento, com apenas cinco pontos. O Corinthians teria dez, mesmo com um jogo a menos - a partida contra o Vasco foi adiada por conta das comemorações dos 100 anos.

A rodada#23 confirmou a boa fase de outros seis times que aproveitaram setembro para embalar: Cruzeiro, Grêmio, Atlético-PR, São Paulo, Inter e Botafogo. Nenhum deles perdeu no fim de semana.

O confronto entre dois dos times que aproveitaram setembro para avançar na classificação foi um dos dois grandes jogos da rodada#23. Botafogo e Cruzeiro ficaram no 2 a 2 no Engenhão, no sábado, em partida com lances polêmicos e uma grande atuação do argentino Montillo, novo líder do Troféu Armando Nogueira.


O empate celeste fez o time perder um incrível aproveitamento de 100% em setembro. Agora são cinco vitórias e um empate em seis partidas.

O Engenhão foi palco dos dois grandes jogos da rodada. No domingo, os seis gols do eletrizante empate no Fla-Flu tiraram o Tricolor da liderança e deixaram esperançosa a torcida rubro-negra, que chegou a gritar "o campeão voltou" quando o time fez 2 a 1.

São Paulo, Atlético-PR e Grêmio, os três times que completam o G-4 de setembro também venceram na rodada. O triunfo mais significativo foi o do Grêmio, que atropelou o Avaí por 3 a 0 e chegou à 11ª posição, melhor posto desde a 6ª rodada. E o Tricolor gaúcho também tem agora o artilheiro do Brasileirão: Jonas, com 11 gols, um a mais que Washington, do Fluminense.

O Atlético-PR entrou de vez na briga por uma vaga na Libertadores com a vitória sobre o xará de Goiás no sábado: 2 a 1. A reação do Furacão é impressionante. Na 9ª rodada, o time amargava a vice-lanterna do campeonato. Agora, está em sétimo, apenas quatro pontos atrás do Botafogo, que fecha a zona da Libertadores.

No Pacaembu, o clássico paulista fez o São Paulo subir para oitavo lugar com a vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras. O jogo teve dois grandes personagens: Lucas, que até o meio da semana se chamava Marcelinho, fez um dos gols. E Felipão foi expulso pela segunda vez no campeonato, após reclamar muito por causa da distância em cobranças de faltas a favor do São Paulo.


A rodada teve ainda mais uma vitória do Inter (1 a 0 no Vasco), desmentindo aqueles que achavam que o time não ligaria para o Brasileiro por conta do Mundial da Fifa. O Colorado segue seis pontos atrás do líder Corinthians. E encerrando a invencibilidade do treinador Paulo César Gusmão na edição 2010.

O domingo também registrou mais um capítulo do drama do Atlético-MG, derrotado pelo Vitória por 3 a 2 em Sete Lagoas. Com quatro pontos a menos que o Avaí, primeiro time fora do Z-4 e a dificil missão de pegar o Fluminense no Engenhão na quarta-feira, o Galo só conseguirá terminar setembro fora dos quatro últimos lugares em caso de milagre.

Time da Rodada: Corithians, depois de 11 rodadas perseguindo o Fluminense, a equipe alvinegra conseguiu passar o Fluminense nessa rodada, e aindatem um jogo a menos, com o Vasco.


Jogador da Rodada: Montillo, como joga bola esse Argentino. O Camisa 10 do Cruzeiro mais uma vez fez a diferença, com dois gols no último sábado, contra o Botafogo.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Resumo da 22º Rodada do Brasileirão.


A rodada # 22 foi das mais animadas do Brasileirão 2010 e superou até o clichê: teve de tudo um pouco... e muito mais. Teve goleada, zebra, duelo de líderes, gol salvador no último minuto, melhor média de gols no ano... e teve também um "monstro", que monopolizou a discussão pós-rodada.


O "monstro" em questão? Neymar. O craque falou "muitas e boas" para Dorival Júnior e ofuscou não só a vitória de virada do seu Santos sobre o Atlético-GO, mas até a vitória do vice-líder Corinthians sobre o líder Fluminense, no Rio. Tudo porque o treinador ordenou que Marcel cobrasse o pênalti sofrido pelo "enfant terrible" do Peixe, no fim da partida, quando o placar já era de 3 a 2 para o Alvinegro praiano sobre o Rubro-Negro goiano. Emérito perdedor de penais, o atacante arrumou a sua terceira confusão em quatro jogos disputados nos últimos 15 dias.

Parecia muito barulho por nada, mas René Simões, com muita educação, subiu o tom. Para o treinador do Atlético-GO, o futebol brasileiro corre o risco de estar criando um "monstro".


- Estou extremamente decepcionado. Poucas vezes vi alguém tão mal-educado desportivamente. Sempre trabalhei com jovens e nunca vi nada assim. Está na hora de alguém educar esse rapaz, ou vamos criar um monstro - disse o hiperbólico René Simões.

Porém, René Simões parece ter padecido do mesmo mal que Neymar, isso no jogo anterior do Dragão, contra o Fluminense. O árbitro Wallace Nascimento disse que o professor pecou exatamente no quesito educação, como mostra trecho da súmula da partida.

"'Vocês são safados, estão me roubando'. Comunico ainda que após sua expulsão, falou as seguintes palavras, cito: 'Esse árbitro tem que tomar no c...'"

Nesta quinta-feira, Neymar tentou dar um ponto final à polêmica. Constrangido, ele se disse arrependido, se desculpou com todo mundo, mas... pareceu em crise de identidade. Na terceira pessoa, disse que aquele Neymar, o da confusão, era outro.


- O Neymar de verdade não é o Neymar de ontem. O Neymar de verdade é o da alegria, com sorriso na cara, alegre e feliz - disse o projeto de monstro, mas, por enquanto, da bola, convenhamos.

Em crise ou não, o Santos segue em sexto com 34 pontos, a apenas sete do Flu - e tem um jogo a menos, ainda enfrenta o Inter pelo primeiro turno. Já o Dragão, em 18º com 20 pontos, segue sua inglória luta para deixar seu posto no Z-4 com outro time.
Bando de loucos faz a festa no Engenhão

Essa confusão toda pareceu papo de maluco? Talvez, mas doida mesmo ficou a torcida do Corinthians. No jogo mais importante da rodada, o time apoiado pelo bando de loucos bateu o Fluminense por 2 a 1, no Engenhão. Com o resultado, se igualou na pontuação ao Tricolor, ambos com 41. Porém, o time carioca segue líder graças ao gol de Washington, que garantiu um saldo superior ao do Timão. Mas os paulistas têm um jogo a menos, contra o Vasco no Rio, adiado no primeiro turno.


Jucilei e Iarley fizeram os gols corintianos que podem mudar a história do Campeonato. Para o primeiro, aliás, o Timão está com a faca e o queijo na mão.

- O título está praticamente nas nossas mãos. Não estávamos conseguindo bons resultados fora de casa, mas vencemos um adversário muito difícil - exagerou Jucilei, na empolgação pós-triunfo.

Do lado tricolor, coisa de maluco. Pelo menos para Marquinho, que apontou um paradoxo nas arquibancadas. Quando o time estava para cair, no ano passado, a torcida o apoiava. Agora que lidera, vaias.

- Falar como atleta é diferente do torcedor. Torcedor é clube, sentimento, mas nós, profissionalmente, não conseguimos entender muito - disse o apoiador.

Maluca de alegria ficou também a torcida do Cruzeiro. A equipe fez a quina e o prêmio foi generoso: ficar a um ponto do líder Fluminense. O time de Cuca venceu o Guarani por 4 a 2 , tem 40 pontos em terceiro lugar, vivinho na briga pelo título. Já o Bugre segue no meio da tabela: 29 pontos em décimo.


Mas a Raposa quase foi para o brejo. Após abrir 2 a 0, Cuca mexeu no time, que se perdeu e permitiu o empate. O treinador abusou da sinceridade ao falar sobre o susto sofrido após trocar um volante por um atacante.

- Assumo minha parcela de culpa. Eu poderia ter feito uma substituição mais conservadora. Eu poderia ter tirado o Henrique e colocado o Elicarlos. Mas como o jogo estava pedindo alguém para por a bola para dentro, coloquei o Farías - explicou.

Decepção mesmo foi o Botafogo. Muito desfalcado, o time foi goleado por 4 a 1 pelo Goiás, no Serra Dourada. Apesar da pancada, o time carioca caiu apenas para o quarto lugar e, com 37 pontos, segue tanto no G-4 como na luta pelo troféu. O Esmeraldino teve um pequeno motivo para comemorar: chegou aos 20 pontos e passou a lanterna para o Grêmio Prudente.


Na quinta-feira, o Inter nem precisou se esforçar muito para mostrar que pode entrar na briga pelo título. Com facilidade, venceu o São Paulo por 3 a 1, no Morumbi. Com 35 pontos em quinto, o Colorado ainda tem um jogo a fazer pelo primeiro turno. Já o Tricolor paulista parece não ter maiores ambições, em 12º com 28 pontos.

Fla, Palmeiras e Furacão e vencem

Mas se faltou emoção e sobrou futebol na vitória colorada, o Flamengo fez o contrário. Também fora de casa, o Rubro-Negro carioca penou para bater o Grêmio Prudente, mas o fez numa virada incrível. O time da casa fez 1 a 0 no primeiro tempo. Adriano Pimenta, autor do gol, foi expulso por comemorar com a camisa no rosto - já tinha amarelo e recebeu o vermelho.


Com um a mais durante toda a segunda etapa, o Rubro-Negro jogou de maneira sofrível. Mas se nada deu certo durante 85 minutos, bastaram mais nove para conseguir uma vitória de lavar a alma. Aos 40 minutos do segundo tempo, Diego Maurício empatou. Era o primeiro gol de um atacante após exatos 1.155 minutos.

Aos 49, no último minuto de acréscimo, Toró acertou o canto esquerdo e encerrou outro jejum: o de sete partidas sem vitória. Com o placar, a equipe chegou a 26 pontos em 14º, respirando na luta contra o descenso. O Prudente, por sua vez, amarga a lanterna, com 17.

Já Felipão foi um péssimo convidado na festa gremista. No aniversário de 107 anos do Grêmio, o Palmeiras venceu por 2 a 1 no Olímpico. Scolari, que teve o nome gritado pela torcida tricolor, viu seu time subir para 11º com 29 pontos. A equipe gaúcha segue com 26 em 13º.

Quem fez festa, mas sem fim desagradável para a torcida local, foi o Furacão na Arena da Baixada. O time venceu o Atlético-MG por 2 a 1 e, depois de ser atormentado pelo fantasma do rebaixamento, pode se dar ao luxo de sonhar com a Libertadores.: 31 pontos em sétimo. Já o Galo segue seu calvário, com 21 em 17º, dentro do Z-4.

Já o Vasco segue sua sina: empatar. Em casa, a equipe ficou no 1 a 1 com o Avaí. Foi o 11º empate do time, recordista ao lado do Palmeiras. O time cometeu muitos erros, novamente, como este ano vídeo ao lado de Éder Luís. Os cariocas também têm 29 pontos, como os alviverdes, mas estão em 11º no critério de desempate. O Avaí segue em queda livre, com 25 pontos em 15º.


Ah, e a média de gols? Foi a maior do Brasileirão 2010. Foram 35 em 10 partidas, média de 3,5 por confronto. Mas Vitória e Ceará não colaboraram. O zero a zero no Barradão deixou os baianos a um posto do Z-4, em 16º com 25. A equipe cearense está melhor, com 29 em oitavo.



Time da Rodada: Corithians, em um jogo basatabte disputado, a equipe paulista ganhou do Fluminense no Engenhão por 2 x 1.

Jogador da Rodada: Jucilei, Jogou muito contra o Fluminense, fez uma partida intocável.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Começa hoje a UEFA CHAMPIONS LEAGUE


O torcedor acostumado a seguir de perto as estrelas da Liga dos Campeões verá muitas caras novas na temporada 2010/2011. Não necessariamente desconhecidas. É claro que Messi, Cristiano Ronaldo e companhia ainda têm muito espaço, conquistado com todos os gols e méritos, mas a conta de times que não disputaram a fase de grupos do último ano chega a 20.

Seis são estreantes: Tottenham (Inglaterra), Twente (Holanda), Hapoel Tel-Aviv (Israel), Bursaspor (Turquia), Zilina (Eslováquia) e Sporting Braga (Portugal). Este último o recordista de jogadores brasileiros no elenco, 13 ao todo. Benfica, Roma e Shakhtar Donetsk vêm em segundo, com oito, este último com dois naturalizados. No total, 86 brasucas estão inscritos (Sandro, ex-Internacional, acabou ficando fora da lista dos Spurs nesta fase). Em uma competição tão globalizada, no entanto, não há número que possa diminuir a emoção dos que ouvem os versos e melodia do hino da Champions no gramado.Seis são estreantes: Tottenham (Inglaterra), Twente (Holanda), Hapoel Tel-Aviv (Israel), Bursaspor (Turquia), Zilina (Eslováquia) e Sporting Braga (Portugal). Este último o recordista de jogadores brasileiros no elenco, 13 ao todo. Benfica, Roma e Shakhtar Donetsk vêm em segundo, com oito, este último com dois naturalizados. No total, 86 brasucas estão inscritos (Sandro, ex-Internacional, acabou ficando fora da lista dos Spurs nesta fase). Em uma competição tão globalizada, no entanto, não há número que possa diminuir a emoção dos que ouvem os versos e melodia do hino da Champions no gramado.



GRUPO A

O atual campeão não pegou a chave das mais fáceis e, ainda que o início de temporada não tenha sido dos melhores, não deverá ter muitos problemas. O elenco é o mesmo que conquistou quatro das últimas cinco competições que disputou. Werder Bremen e Tottenham prometem uma disputa interessante que envolverá três brasileiros - Sandro, ex-Inter, não foi inscrito. Mas, enquanto os alemães perderam a revelação da Copa, Mesut Özil, os ingleses se reforçaram com o zagueiro Gallas e o meia Van der Vaart para uma temporada que promete ser exaustiva. Campeão holandês, o Twente teve seu time praticamente desmontado, inclusive no comando técnico - o ex-goleiro belga Michel Preud'homme substitui o inglês Steve McLaren.




GRUPO B

A condição de semifinalista deu ao Lyon o privilégio de ser um dos cabeças de chave, mas a presença de Benfica e Schalke, dois clubes com elencos nivelados, mantém em aberto qualquer combinação para a próxima fase. Os alemães apostam no veterano Raúl, ex-Real Madrid, e maior artilheiro da Liga dos Campeões, com 66 gols. Os franceses jogam as fichas nos quase R$ 44 milhões investidos no meia Gourcuff. Os portugueses, no entanto, não se encontraram no início de temporada a ainda lamentam o fato de terem perdido suas duas referências no meio-campo: Ramires e Di Maria. Azarões, os israelenses contam com o goleiro Enyeama, aquele mesmo que brilhou diante de Lionel Messi na Copa do Mundo, pela Nigéria.



GRUPO C
 
Se o Manchester United não fez contratações impactantes para a temporada e mantém suas esperanças depositadas em Wayne Rooney, o Valencia simplesmente vendeu suas duas maiores estrelas para atenuar a crise financeira. Sem os campeões mundiais David Silva e David Villa, superar o recheado elenco dos Red Devils é quase um sonho para os espanhóis. Rangers e o Bursaspor, campeões na Escócia e Turquia, respectivamente, devem se candidatar a no máximo um segundo lugar. Com talvez ligeira vantagem para os turcos, que quebraram um jejum de 26 anos ao derrubarem os times tradicionais de Istambul.




GRUPO D
 
O Rubin Kazan não traz boas memórias ao Barcelona por sair invicto de dois confrontos no ano passado, mas não seria exagero dizer que a chave é a mais desequilibrada da competição. Base da Espanha campeã mundial, os catalães se reforçaram pontualmente e, apesar do elenco enxuto, parecem mais encorpados do que na última temporada. Aos russos, que ainda trouxeram o meia brasileiro Carlos Eduardo, resta brigar pela segunda vaga com o perigoso Panathinaikos. O Copenhague, que participa da fase somente pela segunda vez, não parece ser dos adversários mais difíceis.




GRUPO E
 
Os atuais vice-campeões têm a faca e o queijo em mãos. A manutenção da base que fez sucesso na Copa do Mundo (Robben, Schweinsteiger e Müller) somada ao peso da tradição colocam o Bayern como favoritos diante do Roma, ainda que na última temporada os alemães tenham terminado a chave em segundo. Os italianos se reforçaram e ainda contam com muitos brasileiros para evitar o que seria uma improvável eliminação diante dos modestos Basel, da Suíça e do coração de Roger Federer, e Cluj, da Romênia, este último um antigo carrasco dos giallorossi.



GRUPO F
 
"Primeiro" dos milionários estrangeiros, o inglês Chelsea sabe que vencer a Liga dos Campeões já se tornou uma obsessão. Mas, ao bater na trave com o pênalti de John Terry, na finalíssima de 2008, viu o russo Abramovich diminuir gradativamente o investimento. O elenco, no entanto, segue como um dos mais fortes da Europa e capaz de assustar até o campeão francês Olympique de Marselha, que deve brigar pela segunda vaga na chave com os russos e brasileiros do Spartak de Moscou. Ao estreante Zilina, da Eslováquia, resta chamar mais atenção nos gramados do que pelo seu curioso nome.



GRUPO G
 
O destino não gostou tanto dos confrontos entre Real Madrid e Milan na última temporada e reservou mais duas datas para o duelo entre os maiores campeões da Champions. Mais do que isso, proporcionou um embate entre Mourinho, Cristiano Ronaldo e companhia contra o "quarteto de áses" rubro-negro, graças aos reforços no fim da janela de Ibrahimovic e Robinho. Protagonistas da chave, ambos deixam o tracionalíssimo Ajax, do uruguaio Luis Suárez, em segundo plano. O francês Auxerre, pelo andar da carrugem, será um mero figurante.
 
 
GRUPO H


Uma chave que conta com 23 brasileiros não pode ser desconsiderada pelo fato de não ter uma grande potência. O Arsenal, que recusou a vender Fábregas pelos objetivos mais ambiciosos, tenta se desvencilhar justamente da sina de que nada, nada e morre no mata-mata. Os adversários prometem complicar sua vida na chave, visto que o Braga é o responsável pela eliminação do Sevilla, enquanto o Shakhtar ganha cada vez mais corpo junto ao talento de Jadson, Willian e Fernandinho. Já o menos tradicional Partizan conta com o artilheiro das fases eliminatórias, o também brasileiro Cléo, que marcou seis vezes.




  Terça-feira



Twente x Inter de Milão


Werder Bremen x Tottenham


Lyon x Schalke


Benfica x Hapoel Tel-Aviv


Manchester United x Rangers


Bursaspor x Valencia


Barcelona x Panathinaikos


Copenhague x Rubin Kazan






Quarta-feira


Bayern de Munique x Roma


Cluj x Basel


Zilina x Chelsea


Olypimque de Marselha x Spartak Moscou


Milan x Auxerre


Real Madrid x Ajax


Arsenal x Braga


Shakhtar Donetsk x Partizan


FONTE: GLOBO ESPORTE.COM
http://globoesporte.globo.com/futebol/liga-dos-campeoes/noticia/2010/09/com-intrusos-e-86-brasileiros-liga-dos-campeoes-inicia-fase-de-grupos.html
 

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Resumo da 21º Rodada do Brasileirão.


A rodada #21 foi das estrelas. Botafogo e Cruzeiro venceram suas partidas e entraram firme na briga pelo título do Brasileirão. O time da estrela solitária e a equipe estrelada chegaram a 37 pontos e, com a derrota do Fluminense para o Atlético-GO, reduziram para quatro pontos a vantagem do líder. Mas não foi só: o vice-líder Corinthians também perdeu, por 1 a 0 para o Grêmio no Pacaembu, e permaneceu com 38 pontos. O Timão, porém, tem um jogo a menos, contra o Vasco, adiado no primeiro turno.


A vitória do time de Joel Santana sobre o São Paulo mostrou que se o Glorioso não tem um elenco estelar, pelo menos tem estrela. Antes do início do jogo, o treinador foi informado que não poderia contar com Herrera, vetado com uma lesão muscular. A dúvida sobre se Loco Abreu jogaria acabava ali, com ele sendo o único atacante do time, enquanto Renato Cajá era confirmado no meio. E quem fez o gol que abriu o caminho para a vitória? O uruguaio, que aproveitou o rebote em chute de Caio. Mais uma vez, Loco não comemorou.

Porém, dessa vez ele tinha um bom motivo: homenagear o zagueiro uruguaio Diego Rodríguez, que faleceu no sábado, dois dias após sofrer um grave acidente de carro. Edno, que entrou no primeiro tempo, no lugar de Marcelo Cordeiro, machucado, fechou o placar. Mas Joel Natalino, um homem que inegavelmente tem estrela, alertou: não quer estrelismo.

- Estamos sempre com aquela sandália (da humildade) e não podemos trocar por uma sapatilha. Sabemos que não conquistamos nada.

Ao tricolor paulista, que vinha de três vitórias seguidas, cabe retomar o rumo novamente. Com 28 pontos em nono, o G-4 está distante, mas não impossível.

Em Florianópolis, o Cruzeiro mostrou que pode contar com as estrelas de seu uniforme. Após abrir o placar com Roger, de pênalti, o time teve muita sorte ao ampliar. Já com um jogador a menos (Marquinhos Paraná foi expulso), o time fez 2 a 0 com Thiago Ribeiro. Ou melhor, para ser mais justo, fez 2 a 0 com a trave e as costas do goleiro Renan. A bola, após tocar no poste, voltou, bateu no arqueiro do time catarinense, já caído, e entrou mansamente. O afortunado Thiago Ribeiro não pôde ignorar a ajuda do destino.


- A bola já merecia ter entrado na primeira. Contei bastante com a sorte, a bola pegou no goleiro e entrou - disse.

Do lado avaiano, a coisa está feia. Tanto que nem o gol de honra de Laércio foi o destaque da equipe. O que mais chamou a atenção foi a reação de Antônio Lopes, na volta do intervalo, ao saber que havia sido expulso pelo árbitro André Luiz Castro.

- Você fica na sua. É sacanagem você me expulsar. É o cacete, eu tenho que passar por aqui - disse, ao responder o juiz, que justificara a exclusão do treinador por ele ter invadido o campo.

Tamanho nervosismo até se justifica: o Avaí está a ver estrelas. Há sete jogos sem vencer, permanece com 24 pontos em 14º, perto da zona de degola.

Grêmio, Guarani e Ceará também comemoram

Mais três times têm motivos de sobra para comemorar: o Grêmio, que venceu o Corinthians por 1 a 0 dentro do Pacaembu, com um golaço de Douglas, foi aos 26 pontos e agora está em 12º, distanciando-se um pouco da zona vermelha. O Guarani foi o time que mais subiu na rodada após vencer o Atlético-PR por 1 a 0, em Campinas. O Bugre pulou três posições e foi para sétimo, com 29 pontos. O Ceará foi outro coadjuvante que dormiu um sono mais tranquilo de domingo para segunda. O Vozão derrotou o Santos por 2 a 1 no Castelão, foi a 28 pontos, na décima posição, e deu um chega pra lá no jejum de vitórias que já durava seis jogos.


Se nada fosse escrito sobre Palmeiras 0 x 0 Vasco, um ‘clássico jogo dos horrores’, talvez nenhum torcedor sentisse falta. Mas é importante reforçar que, de empate em empate, dois pontos são perdidos, e os dois times vão ficando ‘perdidos’ no meio da tabela, com forte tendência à desvalorização e queda. Enquanto o time de São Januário foi a 28 pontos, ficando na 11º colocação. O Verdão tem agora 26, em 13º, já ameaçado pela zona de rebaixamento.

Dentro do Z-4, os dois Atléticos, mineiro e goiano, deram um alento a seus torcedores ao vencerem na rodada. O Galo bateu o Grêmio Prudente por 1 a 0 com um gol de Obina no fim, em Sete Lagoas, foi a 21 pontos, na 17ª colocação. Os goianos, que bateram o líder, têm 20 e pularam para a 18ª posição. Ambos podem sair da zona de rebaixamento na próxima rodada, caso vençam Atlético-PR e Santos, respectivamente, e Flamengo e Vitória percam seus jogos.


O Prudente, próximo adversário do Fla, está na 19ª colocação, com 17 pontos e não parece ter forças para se recuperar. Já o lanterna Goiás, também com 17, tem melhorado e indica que, pelo menos pode ensaiar uma arrancada à superfície.

No sábado à noite, em Volta Redonda, o duelo dos desesperados rubro-negros. Os cariocas do Flamengo contra os baianos do Vitória. E foi emocionante até o fim, mais precisamente aos 45 minutos do segundo tempo, quando Kleberson, que havia feito dois gols e empatado o jogo em 2 a 2 aos 39, chutou com categoria uma bola no travessão e quase virou herói. Não virou, e o atual campeão brasileiro segue coladinho, em 16º, com uma das mãos dadas com a zona do rebaixamento, com 23 pontos. O Leão do Barradão tem 24, está em 15º, e aposta no técnico Toninho Cerezo, que deve ser apresentado nesta segunda, para evitar mais uma queda em sua história.

Na parte disciplinar, foram 43 amarelos e três vermelhos recebidos pelos jogadores dos 20 times. Em matéria de bola na rede, a Série A continua mal das pernas: no fim de semana foram marcados apenas 18 gols, média de 1,8 por jogo. Ainda foi melhor que a 11ª rodada, na qual apenas 16 gols foram marcados, mas não há motivo para empolgação. Entre os artilheiros, Washington, que fez o gol do Fluminense na derrota por 2 a 1 para o Atlético-GO, em Goiânia, se juntou a Bruno César, do Corinthians, e Elias, do próprio time goiano, com nove.


Time da Rodada: Cruzeiro, depois de 4 vitórias seguidas a euiqpe mineira se aproximou dos líderes do campeonato.

Jogador da Rodada: Geraldo, o camisa 10 do Ceará jogou muito contra o Santos, deu vários passes,  driblou, marcou e fez o gol da vitória.

sábado, 11 de setembro de 2010

Futebol Internacional.

Campeonato Italiano.



 Ibra desperdiça pênalti, Robinho tem atuação discreta, e Milan tropeça

Apresentação badalada do brasileiro Robinho e do sueco Ibrahimovic durante a semana, torcida empolgada com as estreias das duas novas estrelas, mas o Milan, que contou em campo com outros três brasucas Thiago Silva, Pato, Ronaldinho, não teve forças para derrotar o Cesena, neste sábado, pela segunda rodada do Campeonato Italiano. O time rubro-negro perdeu por 2 a 0, fora de casa, e Ibrahimovic ainda desperdiçou um pênalti no fim do jogo.


Lucio marca, e Inter de Milão vence



a primeira. Ainda sem convencer...


Zagueiro abre o placar no triunfo suado sobre o Udinese, em casa: 2 a 1
 
Sem Maicon, lesionado, com Julio Cesar no gol e Philippe Coutinho no banco, coube a Lucio a tarefa de colocar o Brasil novamente em destaque. Foi do zagueiro o primeiro gol do atual pentacampeão Inter de Milão no Campeonato Italiano. E que acabou sendo decisivo para a magra vitória por 2 a 1, sobre o Udinese, neste sábado, no Giuseppe Meazza, em jogo válido pela segunda rodada - na estreia, um insosso empate sem gols com o Bologna.


O triunfo recoloca o Inter entre as cabeças - é o líder provisório, com quatro pontos -, mas não apaga as desconfianças sobre a equipe do técnico espanhol Rafael Benítez. Embora o Udinese seja um adversário qualificado - conta com Di Natale, artilheiro da última edição da competição, por exemplo -, o rendimento dos neriazzurri, principalmente na primeira etapa, foi abaixo do esperado. E a cobrança se justifica pelo fato de o Inter ter vencido quatro dos últimos cinco troféus que disputou - Liga dos Campeões, Campeonato Italiano, Copa da Itália e Supercopa da Itália.

Após empatarem, aos 30 da etapa inicial, com Floro Flores, de cabeça, os visitantes seguiram ameaçando no início do segundo tempo, com o chileno Sanchez como maior candidato a algoz. Mas um pênalti cometido sem necessidade por Angella, que colocou a mão na bola, aos 20 minutos, selou o triunfo interista. Eto’o desperdiçou a cobrança, mas acertou no rebote: 2 a 1. O camaronês fez ainda mais bonito aos 37, ao ajeitar de fora da área e colocar no canto esquerdo de Handanovic. A bola bateu caprichosamente na trave. Aplausos tímidos.



Campeonato Alemão


Wolfsburg segue marasmo com estrelas e perde pela terceira vez

Não foi um sábado bom para os brasileiros na terceira rodada do Campeonato Alemão. Mesmo com Diego, Cícero, Josué e Grafite (entrou no segundo tempo) em campo, além do atacante bósnio Dzeko, o Wolfsburg seguiu o marasmo e perdeu pela terceira vez: 2 a 0 para o Borussia Dortmund, fora de casa. Sahin e Kagawa marcaram, ambos na segunda etapa, após vacilos da lenta defesa dos Lobos.


O resultado negativo só não colocou o Wolfsburg na zona de rebaixamento por conta das também péssimas campanhas de Schalke 04, Colônia e Stuttgart. A equipe do brasileiro Cacau, inclusive, sofreu a virada diante do Freiburg, por 2 a 1, fora de casa. Pogrebnyak anotou para os visitantes, com Cissé e Schuster definindo o placar.

Em outro jogo envolvendo brasileiro, o Bayer Leverkusen, de Renato Augusto, saiu atrás no placar, mas reagiu quando estava com um homem a mais em campo: 2 a 2 com o Hannover, que pulou provisoriamente para a terceira colocação, com sete pontos - o líder é o Hoffenheim, com nove. Ya Konan e Abdellaoue fizeram os gols dos mandantes, enquanto Derdiyok e Helmes marcaram para o Rubro-Negro, este último já nos acréscimos. O experiente Ballack deixou o campo ainda na etapa inicial, aos 31 minutos, com uma lesão.

Em Munique, o Bayern empatou em 0 a 0 com Werder Bremen.

Com Raúl e Huntelaar, Schalke cai



para Hoffenheim e perde a terceira


Líder faz 2 a 0 e mantém 100% de aproveitamento na Bundesliga

Nem mesmo a estreia de Huntelaar, apresentado oficialmente na quarta-feira, salvou o Schalke nesta sexta: com gols de Vorsah e Salihovic, o Hoffenheim venceu a equipe de Gelsenkirchen por 2 a 0, em casa, e segue na liderança do Campeonato Alemão com 100% de aproveitamento. Já os Azuis Reais continuam sem vitórias.


O Schalke, que contou com Raúl, perdeu as três partidas que disputou até agora (antes, levou 2 a 1 do Hamburgo e Hannover) e não pontuou. O Hoffenheim está com nove pontos, pois também venceu Werder Bremen (4 a 1) e St. Pauli (1 a 0).

O primeiro gol do time da casa foi marcado por Vorsah, de cabeça, aos 37 minutos da etapa inicial. O 2 a 0 foi de Salihovic, aos 47 do segundo tempo, com ajuda do goleiro Neuer: após cobrança de falta na trave, a bola bateu no camisa 1 do Schalke e entrou. Sem Carlos Eduardo, negociado com o russo Rubin Kazan, o Hoffenheim só teve um brasileiro em campo: o meia Luiz Gustavo.

Contratado por € 14 milhões (R$ 31 milhões) junto ao Milan, Huntelaar começou como titular do Schalke e formou o ataque com Raúl e o brasileiro Edu. A melhor chance para empatar foi do holandês: aos 15 do segundo tempo, o camisa 25 tentou de cabeça, o goleiro Starke defendeu e a bola bateu no travessão.


Campeonato Espanhol

Hércules mostra sua força e derruba Barcelona no Camp Nou



Paraguaio Valdez marca duas vezes e garante vitória do time de Alicante: 2 a 0

Na mitologia grega, Hércules, o maior de todos os heróis gregos, era famoso por sua força, depois de estrangular duas serpentes ainda no berço. Recém-promovido à elite principal do futebol espanhol, seu homônimo mostrou também sua virilidade dentro das quatro linhas. O time da cidade de Alicante surpreendeu o poderoso Barcelona, no Camp Nou, e venceu o adversário por 2 a 0, na abertura da segunda rodada do Campeonato Espanhol, neste sábado. O Hércules conseguiu um feito neste sábado, já que o Barça não perdia em casa pelo Campeonato Espanhol desde maio de 2009.


Na última vez que esteve na divisão principal espanhola, na temporada 96/97, o Hércules bateu o Barcelona por duas vezes, inclusive, uma no Camp Nou, por 3 a 2, de virada, com Ronaldo Fenômeno em campo.


Com Cristiano Ronaldo, Real Madrid não dá espaço para a zebra e vence


Fora de combate há duas semanas, astro português dá passe para o gol do compatriota Ricardo Carvalho, o único do triunfo magro sobre o Osasuña

Não foi lá uma atuação brilhante, longe disso, mas o Real Madrid não deu espaço para a zebra nesta segunda rodada do Campeonato Espanhol. Contando com Cristiano Ronaldo, que voltou após duas semanas de lesão no tornozelo, os merengues venceram o Osasuña, por 1 a 0, neste sábado, no Santiago Bernabéu.


Foi do português, inclusive, o passe para o compatriota Ricardo Carvalho anotar o único gol da partida. Mas, diante do quase inacreditável tropeço do Barcelona para o Hércules, no Camp Nou, somar pontos é o que interessa para a equipe do técnico José Mourinho, que venceu pela primeira vez em jogos oficiais.

O resultado leva o Real provisoriamente para a segunda colocação, com quatro pontos, atrás do Valencia, único 100% até então. O rival Atlético de Madri, outro que pode assumir a ponta, também entra em campo neste sábado, contra o Athletic de Bilbao, fora de casa. O lateral-esquerdo Marcelo foi o único brasileiro em campo.

Mourinho pôs a campo uma formação ofensiva. O atacante francês Benzema recebeu nova chance ao lado de Higuaín e Cristiano Ronaldo no ataque. No meio, Özil venceu a disputa interna com Di María e Canales. Ambos, no entanto, não renderam o esperado pelo português, que gesticulou muito durante a primeira etapa. Higuaín também não estava numa boa noite e desperdiçou boas chances.

Para seu alívio, o gol saiu logo após o intervalo. Cristiano Ronaldo recebeu na grande área e chutou. Ricardo defendeu e, no rebote, o português preferiu o passe para Ricardo Carvalho, deixando fácil a vida do zagueiro, que só tocou para o gol livre: 1 a 0. Desde então, o Real administrou a vantagem, pôs em campo jogadores mais defensivos, como Lass Diarra e Arbeloa, e saiu de campo com a tarefa cumprida.

Resumo da 20º Rodada do Brasileirão.


Não era a de número 22, o tal número dos loucos (no tarô, a carta 22 é a do louco, daí a relação), mas a rodada #20 foi muito doida. Para se ter uma ideia, o líder jogou bem, venceu com facilidade, ampliou sua vantagem sobre o segundo colocado e... entrou em parafuso! Sim, a quinta-feira do Fluminense, que se anunciava como tranquila, foi marcada pelo surgimento de uma crise.


Mas como, se a rodada foi praticamente perfeita para o Flu? Após perder no fim de semana, o Tricolor estreou como mandante no Engenhão e fez jus à palavra: mandou no jogo e venceu o Ceará por 3 a 1. Como se fosse pouco, viu o seu perseguidor mais próximo tropeçar. O Corinthians empatou por 1 a 1 com o Atlético-PR, na Arena da Baixada, e deixou que o clube carioca aumentasse de um para três pontos a vantagem - são 41 pontos para o Flu, 38 para o Timão (os alvinegros, porém, tem um jogo a menos e podem empatar com os tricolores).

Os tricolores então viveriam uma quinta-feira de louca alegria, né? Errado. Se mandou bem em campo, o Flu mandou mal fora dele. Nesta quinta, Fred deu uma entrevista coletiva para fazer o que não faz desde 25 de julho: atacar. Afastado por conta de uma lesão na panturrilha direita, o artilheiro desancou o médico Michel Simoni. O camisa 9 disse que um exame realizado na quarta-feira revelou uma nova lesão no mesmo local. O motivo do problema, segundo o jogador, teria sido a precipitação do departamento médico ao mandá-lo para os treinos.


- Fiz um exame em São Paulo que mostrou outra lesão na mesma panturrilha. O tendão de Aquiles está zerado. Curei a lesão e precipitaram a volta. Machuquei de novo o local que não estava reforçado. Fui liberado para a parte física na hora errada. Não sei se o Michel vai seguir no clube ou não, mas ele não poderia ter dito que eu estava curado e que estava apenas inseguro.

Para falar a verdade, parecia papo de maluco. Horas antes, Sanches ironizara os tricolores ao dizer que 'contra o Flu não havia erro de arbitragem'. Tudo porque o Timão sofreu o gol de empate do Furacão em um pênalti absolutamente imaginário sofrido por Wagner Diniz assinalado pelo árbitro Jailson Macedo Freitas. O lateral invadiu a área e se atirou, mas sequer conseguiu encostar no zagueiro Leandro Castán.


Porém, verdade seja dita, o gol dos corintianos foi só um pouquinho menos polêmico. Ronaldo tentou cruzar a bola, que bateu na perna e depois no braço do mesmo Wagner Diniz. Bola na cal e gol do Fenômeno, para alegria do bando de loucos.


Ao fim disso tudo, Sanches disse duvidar que algum clube seja favorecido. Ou seja: todo mundo falou e ninguém disse nada. Afinal, ora bolas, o juiz não prejudicou lado algum na Arena... só o dele, é claro. Já o Atlético-PR, vai bem, obrigado. Com 28 pontos, está em oitavo, a seis do G-4.

Botafogo 'loco' de alegria: vitória sobre o Peixe e 3º lugar

Doidos de alegria estão mesmo os botafoguenses. O time venceu o Santos por 1 a 0, no Pacaembu, e já está em terceiro lugar com 34 pontos. O gol, ah o gol... foi de Loco Abreu, ninguém menos. Aliás, golaço: o atacante recebeu de costas para o gol, deu um curto balão no goleiro Rafael e concluiu com muita categoria e sangue-frio. Detalhe: aos 45 minutos, sendo que o centroavante uruguaio saiu da reserva. Loucura pensar no título, apesar dos sete pontos que o separam do Flu? Nem tanto...

Já o Cruzeiro não quis saber de polêmica. A Raposa venceu o Inter por 1 a 0 num golaço de Everton no Parque do Sabiá, na quarta-feira. A vitória sobre o campeão da América mantém o time não só firme na briga por uma vaga na Libertadores, pulando do sexto para o quarto lugar, com 34 pontos. A equipe de Cuca passou o próprio Colorado e o Peixe, ambos com 31 pontos. E também se credencia, sim, à disputa do título.


Aliás, isso ao menos acaba com uma loucura: a ilusão do G-6. Com Bota e Cruzeiro em terceiro e quarto, os quatro primeiros times da tabela voltam a ser os classificados para a Taça Libertadores - antes eram os seis primeiros, já que Inter e Santos já estão garantidos na competição continental - o que dava no mesmo, com o Fogão e a Raposa se classificando. Mas é bom lembrar: colorados e alvinegros praianos têm um jogo a menos e ainda se enfrentarão por partida adiada do primeiro turno.

São Paulo: cabeça no lugar e ascensão

No Morumbi, o São Paulo mostrou que pôs a cabeça no lugar. Após entrar em crise, o Tricolor Paulista dá sinais de recuperaçãoe de que acertou ao apostar nos garotos da base. No dia em que se festejava os 20 anos da chegada de Ceni ao Morumbi, a equipe de Sérgio Baresi, o interino com cada vez mais cara de técnico definitivo, venceu o Flamengo por 2 a 0, gols de Marlos e do veterano Fernandão. São 28 pontos e a oitava posição. Ou seja, sonhar com vaga na Libertadores não é nenhuma insanidade.


Do outro lado, Silas amargou a segunda derrota em três jogos, enquanto o Fla chegou a seis confrontos sem vencer. Com 22 pontos, o Urubu já começa a sentir o cheiro da zona do rebaixamento. Não se pode falar em perda de juízo, mas a substituição de Correa por Vinicius Pacheco após o primeiro gol, com apenas 21 minutos (o gol foi aos oito), deixou a torcida rubro-negra encucada. Mas sem sentido mesmo foi a atitude de Diogo, expulso por simular um pênalti um minuto após ter levado um cartão amarelo, no fim da etapa inicial.

Outro tricolor, só que gaúcho, também deu mais uma prova de sua reabilitação. Mesmo sem jogar bem, a equipe venceu o Atlético-GO por 2 a 0 no Olímpico, gols de Douglas e Borges. A equipe dirigida por Renato Gaúcho agora tem 23 pontos em 14º, afastando-se um pouco do Z-4, o qual frequentou por muitas rodadas. Já o Dragão goiano segue na zona de rebaixamento, com 18 pontos em 17º. Mas seu treinador, René Simões, mostrou que continua fiel ao método Master Mind (treinamento da mente para obtenção de resultados de alta performance ou algo parecido, vá lá).

- Eu só sei que o Atlético-GO, ao fim do Campeonato Brasileiro, não estará no rebaixamento. O Grêmio, não sei.


E o Palmeiras? Está deixando Felipão louco... de raiva. O empate por 1 a 1 com o Vitória, no fim da partida, em Salvador, foi o décimo da equipe na competição. Com 25 pontos, o Verdão não decola: segue em 12º. O treinador perdeu a linha:

 Foram erros absurdos, infantis, típicos de futebol de várzea. Vou dar exemplo do gol que sofremos, veio de um balão do goleiro deles. É um erro gritante, que não acontece nem em jogo de casados contra solteiros de 60 anos.

Mas quem perdeu a razão foi Toninho Cecílio... Perdeu a razão e o emprego. O treinador arrumou confusão com os jornalistas após o jogo., discutindo com algum deles na coletiva. Nesta quinta, o clube baiano anunciou sua saída. O Leão tem 23 pontos, em 15º, pertinho do Z-4.

Aliás, não só Toninho Cecílio engrossou a fila dos desempregados. Mário Sérgio, do Ceará, também dançou. O time nordestino, que frequentou o G-4, está em queda livre, com 25 pontos em 10°. Com as trocas, já são 20 as mudanças no banco de reservas dos clubes da primeira divisão - uma mudança por rodada, em média.

Houve mais gente no bloco dos sem-razão. Vasco e Atlético-MG empataram por 1 a 1 nesta quinta, em São Januário. Com 27 pontos, o Vasco é nono. Já os mineiros ainda penam: têm 18 pontos em 17º, no Z-4. Éder Luís fez o gol carioca, e Ricardinho empatou para o Galo em cobrança de pênalti. Foi a penalidade, aliás, que resultou na expulsão do técnico cruzmaltino PC Gusmão. A infração foi clara, mas não para ele. Expulso por reclamação, ele tentou se justificar,

- Todos viram a forma como fui expulso. Houve inversão de critério. Não estou reclamando do pênalti, mas na falta em cima do Jonathan no lance anterior.

Por fim, um jogo "normal", Prudente e Avaí empataram por 1 a 1 no Prudentão, em São Paulo. Com o resultado, o time nômade da elite do futebol nacional está em 19º com 17 pontos. Já os catarinenses estão em 13º com 24.


Time Da Rodada: Botafogo, ganhou de forma surpreendente do Santos no Pacaembu, com um gol do Loco.

Jogador Rodada: Jefferson (Botafogo), o que esse goleiro agarrou de bola a favor do Botafogo foi brincadeira, pegou tudo.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Seleção do 1º Turno do Campeonato Brasileiro.


Quando eu resolvi criar uma selação do campeonato, passou pela minha cabeça fazer um time bastante ofensivo no 4-3-3, só que aqui no Brasil poucas equipes jogam assim, depois pensei em criar um 4-4-2, basatante ofensivo com apenas um volante de marcação e 3 homens de criação no meio de campo, mais iria ficar muito exposto tambem. Por isso vou escalar um 4-4-2 clássico, com 2 volantes, 2 meias de criação e dois atacantes.


Goleiro - ROGÉRIO CENI (São Paulo)

Lateral Direito - LÉO MOURA (Flamengo)
Zagueiro Central - ANTÔNIO CARLOS (Botafogo)
Quarto Zagueiro - CHICÃO (Corinthians)
Lateral Esquerdo - JÚLIO CESÁR (Fluminense)

Primeiro Volante - WILLIANS (Flamengo)
Segundo Volante - TINGA (Internacional)
Meio de Campo - CONCA (Fluminense)
Meio de Campo - D'ALESSANDRO (Internacional)

Segundo Atacante - ELIAS (Atlético Goianiense)
Centro Avante - EMERSON (Fluminense)


Agora vou falar de cada jogador.

Rogério Ceni - Pode parecer surpresa pra muitos o goleiro São Paulino na seleção do campeonato, mais quem acomponhou todos os jogos sabe que ele salvou o São Paulo várias vezes.  Contra o Fluminense pegou um pênalti no final, j]no jogo contra o Atlético Mineiro salvou o São Paulo várias vezes, contra o Corinthians ele foi o herói do jogo apesar do 3 a 0 pro São Paulo o Corinthians mereceu fazer no mínimo 9, se não fosse o Rogério Ceni.

Léo Moura - O Lateral Direito rubro-negro merece esse vaga na seleção do campeonato,  jogou muito nesse 1º turno, em algumas partidas parecia que só tinha ele no time do Falmengo, não tem perder de partir pra cima do adversário, tem raça e habilidade.

Antônio Carlos - Já fez 5 gols nesse Campenato Brasileiro e mantem uma regularidade muito boa.

Chicão - Pra mim um dos jogadores mais regulares do campeonato, ele tem a calma de meio de campo mais joga na zaga. Chicão pra muitos  já merece estar na seleção, pra mim ainda não, mais ele é um excelente zagueiro.

Júlio César - Excelente lateral esquerdo, manteve um boa regularidade.

Willians - Como a Torcida do Flamengo fala ele é um monstro na marcação, é um dos melhores jogadores que eu já vi no desarme, tem um ótimo poder de recupração, se ele melhorar o passe e a finalização não tem dúvidas que vai ser um dos melhores volantes do mundo.

Tinga - Depois que voltou ao colorado, o meio de campo vem jogando super bem, com ótimas atuações. Foi uma excelente aquisição do Internaional repatriar o Tinga.

Conca - Esse argentino é diferenciado, basatante habilidoso e rápido, chama a responsabilidade em um time rodeados de craques. Pra mim ele é o melhor jogador do Campeonato Brasileiro.

D'alessandro - Com um estilo jogador diferente esse Argentino demosntra ser um dos melhores meias que jogam no Brasil, extramente frio, habilidoso e com passes incriveis, é o famoso camisa 10.

Elias - Apesar de não ser um atacante de ofício o jogador do Atlético Goianiense, tem se destacado por fazer muitos gols, tem uma perna canhota potente e habilidosa, tenho certeza que ano que vem ele vai estar em alguma  equipe de maior expressão.

Emerson - O Sheik, fez excelentes partidas no Fluminense, ele não é muito habilidoso, mais tem uma raça e é bastante rápido,  a equipe das laranjeiras soube investir bem.


Tenho certeza que muitos não vão concordar com essa formação por isso façam a sua seleção do campeonato.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Brasil vence Barcelona B


Os meninos do Barcelona B começaram dando pouco espaço à Seleção. Mas, aos poucos, Ramires e Lucas passaram a controlar a marcação no meio-campo e o time de Mano passou a pressionar.

Com a camisa (de treino) 10, Carlos Eduardo atuava mais pela esquerda, enquanto Philippe Coutinho (11) foi escalado pela direita. No meio do primeiro tempo, o técnico inverteu a posição.


O primeiro gol saiu aos 12. Após bom passe do capitão Robinho, Lucas entrou sozinho na área, pela direita, e bateu na saída do goleiro: 1 a 0. Dois minutos depois, o segundo: Lucas roubou a bola e deu para Philippe, que tocou por trás da zaga para Alexandre Pato entrar na área e marcar.

No segundo tempo, Mano trocou jogadores e só deixou o goleiro em campo. O Brasil ficou com: Diego Alves, Rafael, Henrique, Alex, Adriano, Fernandinho, Hernanes, Sandro, Douglas Costa, André e Hulk. Durante a etapa final, o técnico tirou Diego e colocou o jovem Gabriel, do Cruzeiro, no gol.

Com as mudanças, a Seleção passou a ter mais dificuldades e sofreu com a marcação da garotada do Barça B. Aos 35, conseguiu encontrar um espaço graças a um erro do rival: após passe errado na defesa, a bola sobrou para André, que rolou na direita para Fernandinho chutar cruzado e fechar o placar.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Rogério Ceni: 20 Anos no São Paulo e uma Linda história


Na véspera de completar 20 anos de história no São Paulo, o goleiro e capitão Rogério Ceni foi homenageado pela diretoria do Tricolor na manhã desta segunda-feira. Durante evento que serviu para apresentar o novo patrocinador do clube, o atleta recebeu uma placa das mãos do diretor de futebol, João Paulo de Jesus Lopes, que continha a seguinte mensagem.


"Nossa gratidão e homenagem ao homem, pai, atleta, cidadão, capitão e campeão. Por 20 anos de dedicação e inspiração, defendendo com muita galhardia e glória o São Paulo"-

O jogador não escondeu a emoção com a homenagem.

- Eu só tenho a agradecer, principalmente porque o São Paulo é uma extensão da minha vida. Como minha esposa, minhas filhas, tudo que conquistei devo a esse clube. Agradeço ao São Paulo porque todos trabalham para esse clube ser cada vez maior. Hoje, a campanha não é das melhores, mas sem dúvida, vamos buscar a recuperação. É mais do que eu merecia. São 20 anos de trabalho, sou um funcionário, mas faço com muito carinho, muito amor. Agradeço de coração.

O goleiro disse que a sua relação com o clube do Morumbi é algo inexplicável.

- A cada ano, essa relação (com o São Paulo) foi se aproximando ainda mais. Os anos foram caminhando, meus cabelos foram embora, e essa aproximação foi ficando mais forte. A minha grande paixão ao entrar em campo é por vestir essa camisa - lembrou o atleta, que tem contrato com o clube até dezembro de 2012.


_________________________________________________________

Presidente faz homenagem em carta



Para surpresa de muitos, o presidente Juvenal Juvêncio não apareceu no evento que anunciou o novo patrocinador e homenageou o camisa 1 tricolor. Mesmo assim fez questão de enviar uma carta para mostrar o que o capitão tricolor representa para a história do clube.


Veja a carta abaixo:


Prezado Senhor Rogério Ceni


Capitão da Equipe de Futebol Profissional do São Paulo Futebol Clube


Permita-me dirigir singelas palavras, o que faço, em nome do São Paulo Futebol Clube na condição de Presidente, assim como o faço em meu nome pessoal.


Disse o Poeta Vinícius de Morais que "a vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros pela vida". Há 20 anos, Rogério Ceni encontrou em seu caminho a Gloriosa História do São Paulo Futebol Clube.


Naquele momento, a ninguém seria dado imaginar que as correntezas dessas duas Histórias iriam confluir de forma tão singela, que, pelas próximas décadas, iriam se tornar um único caminhar, percorrido em uníssono pelo Homem e pelo Clube, com tamanha harmonia a ponto de poder se dizer ser esse um único afluente.


Nesses 20 anos, Rogério Ceni soube percorrer todas as etapas comuns à vida profissional de um atleta de futebol.


Soube chegar e superar as agruras daqueles que sofrem pela falta do aconchego da cidade do interior e estranham a frieza da cidade grande.


Soube esperar seu momento, absorvendo com intensidade os ensinamentos dos mais velhos, como que antevendo o quanto essas lições lhe seriam úteis quando fosse chegada sua hora de brilhar.


Soube passar pelos momentos difíceis com a resignação dos esportistas e o inconformismo dos vencedores. Constitui família, com sua esposa Sandra e teve suas lindas gêmeas: Beatriz e Clara.


Mais do que tudo, Rogério Ceni soube amar. Amar tanto o São Paulo Futebol Clube a ponto de ser reconhecido pelos milhões de torcedores como sendo um deles dentro do campo. Dessa gente que sofrida, que vem de longe e dedica ao Clube horas do seu lazer e o sacrifício dos abnegados, Rogério Ceni recebe o carinho que somente dispensariam àqueles nos quais reconhecessem a coincidência do igual amor.


Quis o destino, que é justo e sempre sabe recompensar os apaixonados, que Rogério Ceni tivesse tido a oportunidade de vencer no São Paulo Futebol Clube. Vencer já na condição de Capitão, líder respeitado e querido pelos colegas, técnicos, dirigentes e funcionários do Clube.


Campeonatos Paulistas, Brasileiros, Libertadores, Mundial de Clubes. Rogério Ceni ganhou tudo no São Paulo. Fez História e bateu recordes. Fez, até hoje, 90 gols, todos eles com a camisa do São Paulo Futebol Clube. Todos eles como goleiro. Criou uma marca própria, na forma do alarido que se ouve nos estádios do Brasil e do Mundo quando aquela figura com trajes diferentes dos demais e que estaria ali só para defender, sai correndo da sua meta e atravessa o campo para cobrar uma falta ou um pênalti. Tornou-se, então, o maior goleiro artilheiro do Mundo, levou, com suas façanhas, o nome do São Paulo Futebol com destaque no Brasil e no Exterior.


E mesmo que nesse momento seja a oportunidade de relembrar o que já conquistou, Rogério Ceni, após 20 anos de São Paulo Futebol Clube, ainda tem muito a fazer. Rogério Ceni ainda quer mais. E não duvidemos que muito mais ainda irá conseguir. Até porque, cada vitória só fez aumentar sua obsessão por mais títulos, por mais conquistas, por mais outras vitórias que certamente virão.


Rogério Ceni é como o São Paulo Futebol Clube, obcecado pela vitória, inconformado e insatisfeito com tudo que seja menos do que o melhor, a excelência, o próximo passo rumo a um novo objetivo ainda mais grandioso do que o anterior.


Por isso tudo, Rogério Ceni, o São Paulo Futebol Clube está honrado por ter, nesses últimos 20 anos, podido contar com seus serviços, com sua dedicação, com seu profissionalismo e, sem que nenhuma contradição, com o seu amor.


Certamente, a História de Rogério Ceni, que há 20 anos chegou de Sinop, hoje se confunde e é uma das páginas mais brilhantes da Gloriosa História do São Paulo Futebol Clube.


Que seja assim por mais outras tantas décadas, que Rogério Ceni e São Paulo Futebol Clube continuem vivendo esse encontro abençoado e sigam juntos por um caminho comum, uma trilha de glórias e vitórias motivadas pelo carinho, pelo respeito, pela admiração recíproca, enfim, pelo amor.


Atenciosamente,


JUVENAL JUVÊNCIO.

FONTE DA CARTA DE HOMENAGEM: GLOBO ESPORTE.COM


PARABÉNS ROGÉRIO CENI, PELOS 20 ANOS DE MUITO SUCESSO NO SÃO PAULO.

Nostalgia no Maracanã.


A paixão do torcedor pelo Maracanã não se explica. No último domingo, mesmo diante das conhecidas adversidades para frequentar um dos principais templos do futebol mundial, 43.350 mil rubro-negros se despediram de sua “casa”, que agora está fechada para as obras da Copa do Mundo de 2014.

Enquanto centenas de torcedores se acotovelavam nas bilheterias em busca dos últimos ingressos, o clima de nostalgia dominava a parte interna do Maracanã. Nos corredores de acesso, os pedidos para as fotos eram corriqueiros. Todos estavam atrás da "última" recordação.